highlighted:

Publicado em 22 de agosto de 2019

“…. Há de existir alguém que lendo o que eu escrevo dirá… isto é mentira! Mas, as misérias são reais.”

Carolina de Jesus

 

Carolina Maria de Jesus foi uma das primeiras escritoras negras do Brasil. Descoberta pelo jornalista Audálio Dantas, em abril de 1958, enquanto cobria a abertura de um pequeno parque municipal, Carolina foi vista de pé na beira do local gritando “Saiam ou eu vou colocar vocês no meu livro!”. Os intrusos partiram. Dantas perguntou o que ela queria dizer com aquilo. Ela se mostrou tímida no início, mas levou-o até o seu barraco e mostrou-lhe tudo. Ele pediu uma amostra pequena e correu para o jornal. A história de Carolina “eletrizou a cidade” e, em 1960, Quarto de Despejo, foi publicado. A tiragem inicial de 10 mil exemplares se esgotou em uma semana.

Logo suas obras ganharam o mundo. Tratando sempre de temas como a miséria, a situação do negro no Brasil e dos problemas sociais do Brasil, as obras de Carolina de Jesus até hoje vem sendo tema de debates e polêmicas, vencendo o ranço academicista e conservador de só ver arte naquilo que segue as fórmulas eurocêntricas.

Suas obras publicadas são:

  • Quarto de Despejo (1960)
  • Casa de Alvenaria (1961)
  • Pedaços de Fome (1963)
  • Provérbios (1963)
  • Diário de Bitita (1982)
  • Meu Estranho Diário (1996)
  • Antologia Pessoal (1996)
  • Onde Estaes Felicidade (2014)

Para baixar, clique aqui e boa leitura.

Fonte: NotaTerapia


comments:
sidebar:

Entre em contato!


Irajá - Rio de Janeiro